O CONSTITUCIONALISMO ANDINO E A UNASUL: UMA INTEGRAÇÃO PELA CONSTITUIÇÃO

Flávia Soares Unneberg, William Paiva Marques Junior

Resumo


O presente estudo tem por objeto a análise sobre o Constitucionalismo Andino, inaugurado pelas Constituições do Equador (2008) e da Bolívia (2009), e suas características que trouxeram novas luzes para o Direito Constitucional mundial, como o reconhecimento aos direitos da natureza, ao pluralismo jurídico, à democracia participativa e aos direitos humanos, com ênfase em uma política do “buen vivir”. Em seguida abordar-se-á sobre a UNASUL, como mais recente tentativa de integração regional sul-americana, traçando-se, por fim, um paralelo entre ambos, pontuando-se como o Constitucionalismo Andino pode contribuir para o processo de integração almejado pela UNASUL. Cuida-se, portanto, de uma pesquisa bibliográfica e legislativa que conclui que, não obstante ser tanto o Constitucionalismo Andino como a UNASUL movimentos em construção, ambos assentam especial relevância para uma política de redução das desigualdades que tanto afetam a América Latina, na busca constante de sociedades verdadeiramente democráticas e pluralistas. O presente estudo visa apontar a possibilidade de a UNASUL, como novo projeto de integração sul-americana em vigor, ser ponte para uma união regional que ultrapasse o viés meramente econômico e possa enfim lograr êxito na construção de uma identidade sul-americana verdadeiramente preocupada com o bem-estar do homem em sua integralidade.

Palavras-chave


Direito Constitucional; Constitucionalismo andino; UNASUL; Integração

Referências


ACOSTA, Alberto. Riesgos y amenazas para el Buen Vivir. Ecuador Debate, n. 84. Quito-Ecuador, 2011.

BONAVIDES, Paulo. Solução federalista para o problema da unidade latino-americana. In: CADEMARTORI, Daniela Mesquita Leutchuk de; MORAES, Germana de Oliveira; CÉSAR, Raquel Coelho Lenz; CADEMARTORI, Sérgio Urquhart (Orgs.). A Construção Jurídica da UNASUL. Florianópolis: Editora da UFSC; Fundação Boiteux, 2011.

CAPRA, Fritjof. A Teia da Vida. São Paulo: Cultrix, 1997.

GARCIA, Marcos Leite. “Novos” Direitos Fundamentais, Transnacionalidade e UNASUL. In: CADEMARTORI, Daniela Mesquita Leutchuk de; MORAES, Germana de Oliveira; CESAR, Raquel Coelho Lenz; CADEMARTORI, Sérgio Urquhart (Orgs.). A Construção Jurídica da UNASUL. Florianópolis: Editora da UFSC; Fundação Boiteux, 2011.

GUIMARÃES, Luiz Ricardo. Desafios Jurídicos na Proteção do Sistema Aquífero Guarani. São Paulo, LTr, 2007.

JELLINEK, Georg. Teoria general del estado. Tradução de Fernando de Los Ríos Urruti. México: Compañia Editirial Continental. SD.,

MALLMANN, Maria Izabel. Os Ganhos da Década Perdida: democracia e diplomacia regional na América Latina. Porto Alegre: EdiPUCRS, 2008.

MELO, Milena Petters. Le nuove tendenze del diritto costituzionale nell’America Latina: neocostituzionalismo? Conferência apresentada no Seminario Internazionale “Culture giuspubblicistiche e società nell’America Latina di oggi”, realizado em Brindisi, Itália, nos dias 28 e 29 de janeiro de 2011.

MORAIS, José Luis Bolzan de. As Crises do Estado e da Constituição e a Transformação Espaço-temporal dos Direitos Humanos. 2. ed. rev. ampl. Porto Alegre: Livraria do Advogado Editora, 2011.

PIOVESAN, Flávia. Temas de Direito Internacional. 3. ed. São Paulo: Saraiva, 2009.

REYES, Manuel Aragón. La Constitución como paradigma. In: CARBONELL, Miguel. Teoría del neoconstitucionalismo. Ensayos escogidos. Madrid: Editorial Trotta, 2007.

RIBEIRO, Darcy. O povo brasileiro: a formação e o sentido do Brasil. São Paulo: Companhia das Letras, 2006.

ROSENN, Keith S. O jeito na cultura jurídica brasileira. Rio de Janeiro: Renovar, 1998.

SANTOS, Boaventura de Sousa. Refundación del Estado en América Latina. Perspectivas desde una epistemología del Sur. Quito-Ecuador: Ediciones Abya-Yala, 2010.

SARMENTO, Daniel. Constituição e Globalização: a crise dos paradigmas do Direito Constitucional. Revista de Direito Administrativo, n. 215, jan./mar. 1999.

SAULINO, Florencia. Las generaciones futuras y los derechos ambientales. In: GARGARELLA, Roberto (Coord.). La Constitución en 2020: 40 propuestas para una sociedad igualitaria. Buenos Aires: Siglo Veintiuno Editores, 2011 (Colección Derecho y Política), p. 195-202.

SOARES, Guido. Direito Internacional do Meio Ambiente: emergência, obrigações e responsabilidades. São Paulo: Atlas, 2001.

SOARES FILHO, José. MERCOSUL: surgimento, estrutura, direitos sociais, relação com a Unasul, perspectivas de sua evolução. In: Revista CEJ. Brasília, Ano XIII, n. 46, jul./set. 2009, p. 22-23. Disponível em: http://www2.cjf.jus.br/ojs2/index.php/cej/article/view/1283/1284. Acesso em 25 abr. 2012.

TRINDADE, Antônio Augusto Cançado. A proteção internacional dos direitos humanos e o Brasil (1948-1997): as primeiras cinco décadas. 2. ed. Brasília: Editora Universidade de Brasília, 2000.

______. Tratado de Direito Internacional dos Direitos Humanos. Volume I. 2. ed. Porto Alegre: Sergio Antonio Fabris Editor, 2003.

TRAMONTANA, Enzamaria. Dignidad humana y protección de los derechos económicos sociales y culturales en la jurisprudencia de la Corte Interamericana de Derechos Humanos: el nuevo concepto del derecho a una vida digna. In: BOGDANDY, Armin von; PIOVESAN, Flavia; ANTONIAZZI, Mariela Morales (Coord.). Direitos Humanos, Democracia e Integração Jurídica na América do Sul. Rio de Janeiro: Lumen Juris, 2010, p. 357-377.

TRATADO CONSTITUTIVO DA UNASUL. Disponível em: . Acesso em 13 jun. 2012.

VICIANO PASTOR, Roberto; MARTÍNEZ DALMAU, Rubén.. Aspectos generales del Nuevo constitucionalismo latinoamericano. Quito: Corte Constitucional del Ecuador, 2010.

______; ______. El nuevo constitucionalismo latinoamericano: fundamentos para una construcción doctrinal. Revista General de Derecho Público Comparado. N° 9, 2011.

ZAFFARONI, Eugenio Raúl. La naturaleza como persona: Pachamama y Gaia. In: Bolivia: Nueva Constitución Política del Estado. Conceptos elementares para su desarrollo normativo. Vicepresidencia del Estado Plurinacional: La Paz, Bolivia, 2010.

WOLKMER, Antônio Carlos; AUGUSTIN, Sergio; WOLKMER, Maria de Fátima S. O “novo” direito à água no constitucionalismo da América Latina. R. Inter. Interdisc. INTERthesis, Florianópolis, v.9, n.1, p. 51-69, jan./jul. 2012 .

WOLKMER, Antônio Carlos. Pluralismo e crítica do constitucionalismo na América Latina. In: Anais do IX Simpósio Nacional de Direito Constitucional. Curitiba: Academia Brasileira de Direito Constitucional, 2010, p. 143-155.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev. Fac. Dir. - ISSN: 0103-2496 (impresso) / 2317-2940 (eletrônico)

Rua Meton de Alencar, s/n - Centro - Fortaleza - CE 
CEP 60035-160 - Fone: +55 (85) 3366 7834