CULPA, RESSENTIMENTO E MEMÓRIA: TRAÇOS PROBLEMÁTICOS DE UM PENSAR TRANSICIONAL DA JUSTIÇA

Bruno Rotta Almeida

Resumo


O artigo pretende abordar questões problemáticas envolvendo a culpa, o ressentimento e a memória como elementos que desempenham a construção de um pensar transicional da justiça. Almeja-se, assim, expor alguns caracteres tentando indagar-se sobre a dimensão das noções de culpa, ressentimento e memória na possibilidade de visualização e contemplação de uma justiça de transição. Destarte, perguntamos em que medida a culpa, o ressentimento e a memória, respectivamente, afetam um pensar transicional de justiça, nos seus ideais reconstrutivos de passado-presente, evento-trauma, lembrança-esquecimento. Para tanto, em um primeiro momento, cuidamos de expor esse pensar transicional da justiça em sua noção de justo e de reelaboração do passado. Após, estudamos o complexo de culpa em torno das relações envolvendo vitimização, discriminação positiva selvagem, insensibilidade paradoxal e memória como instrumento político vigiado pelo ressentimento. A seguir, analisamos algumas linhas do ressentimento relativas às práticas revolucionárias experimentadas na Revolução Francesa de 1789 e na Resistência Francesa de 1940 a 1944, e os desdobramentos positivos e negativos originados dos desejos e pulsões de vingança, agressividade e violência. Por fim, tratamos de elucidar as questões envolvendo a memória como mecanismo das vítimas contra o esquecimento da injustiça histórica.


Palavras-chave


Culpa; Ressentimento; Memória; Justiça de Transição

Referências


AGAMBEN, Giorgio. Homo sacer — o poder soberano e a vida nua I. Belo Ho-rizonte: UFMG, 2010.

ANSART-DOURLEN, Michèle. O ressentimento: as modalidades de seu desloca-mento nas práticas revolucionárias. Reflexões sobre o uso da violência. In:

BRESCIANI, Stella. NAXARA, Márcia (orgs). Memória e Ressentimento. Cam-pinas: Unicamp, 2001. p. 351-369

BERGSON, Henri. Matéria e memória: ensaio sobre a relação do corpo com o espírito. Tradução Paulo Neves. 4ª ed. São Paulo: Martins Fontes. 2010

BRUCKNER, Pascal. O complexo de culpa do ocidente. Trad. Carlos Pestana Nunes. Mem Martins: Europa-América, 2008.

DUARTE, André. De Michel Foucault a Giorgio Agamben: a trajetória do conceito de biopolítica. In: SOUZA, Ricardo Timm de; OLIVEIRA, Nythamar Fernandes de. Fenomenologia hoje III: bioética, biotecnologia, biopolítica. Porto Alegre: EDIPUCRS, 2008.

FOUCAULT, Michel. Em defesa da sociedade. Trad. Maria Ermantina Galvão. São Paulo: Martins Fontes, 1999.

GINZBURG, Jaime. Escritas da Tortura. In: TELES, Edson; SAFATLE, Vladimir (orgs.). O que resta da ditadura? — a exceção brasileira. São Paulo: Boitempo, 2010.

KEHL, Maria Rita. Tortura e sintoma social. In: TELES, Edson; SAFATLE, Vla-dimir (orgs.). O que resta da ditadura? — a exceção brasileira. São Paulo: Boi-tempo, 2010.

LORENZETTI, Ricardo Luis; KRAUT, Alfredo Jorge. Derechos humanos: justicia y reparacion. La experiencia de los juicios en la Argentina. Crimines de lesa humanidad. Buenos Aires: Sudamericana, 2011.

RODRÍGUEZ, Alejandro Martínez. La rendición de cuentas y lo imprescriptible. In: ZAMORA, Jose Antonio; MATE, Reyes. Justicia y Memoria: Hacia una teoría de la justicia anamnética. Barcelona: Anthropos, 2011.

RUIZ, Castor Bartolomé. (In)justiça, violência e memória: o que se oculta pelo esquecimento, tornará a repetir-se pela impunidade. In: SILVA FILHO, José Car-los Moreira da; TORELLY, Marcelo Dalmás; ABRÃO, Paulo (orgs.). Justiça de Transição nas Américas — olhares interdisciplinares, fundamentos e padrões de efetivação. Belo Horizonte: Forum, 2013.

SILVA FILHO, José Carlos Moreira da. Dever de memória e a construção da his-tória viva: a atuação da Comissão de Anistia do Brasil na concretização do Direito à Memória e à Verdade. In: SANTOS, Boaventura de Sousa; ABRÃO, Paulo; MACDOWELL, Cecília; TORELLY, Marcelo D. (orgs.). Repressão e Memória Política no Contexto Ibero-Brasileiro — Estudos sobre Brasil, Guatemala, Moçambique, Peru e Portugal. Coimbra, Universidade de Coimbra; Brasília: Ministério da Justiça, 2010.


Texto completo: PDF

Apontamentos

  • Não há apontamentos.


Licença Creative Commons
Este trabalho está licenciado sob uma Licença Creative Commons Attribution 3.0 .

Rev. Fac. Dir. - ISSN: 0103-2496 (impresso) / 2317-2940 (eletrônico)

Rua Meton de Alencar, s/n - Centro - Fortaleza - CE 
CEP 60035-160 - Fone: +55 (85) 3366 7834